domingo, 20 de dezembro de 2009

Uma Rosa para Laura

(poemas que eu balbucio)


Queria te dar uma rosa

Linda e diáfana como

Imagino que imaginas.



Uma rosa graciosa e sutil,

De um rosa suave e maravilhoso,

Respingada de orvalho e

Das lágrimas que a noite chora..



Uma rosa iluminada por um

Forte clarão momentâneo,

Com um brilho difuso e nítido

Como a luz do vaga-lume

Em noite escura.



Uma rosa ideal e pura,

Bela e suavemente perfumada

Imantada de um encanto natural,

Que te inebriasse e prendesse.



Que te encantasse

Te fizesse sorrir extasiada

Te levasse às lágrimas,

Que, enfim, revelasse

As emoções mais secretas

De tua alma.



Que exteriorizasse

Através de teu amor,

A percepção da emoção

Contida na flor

Rilmar (1990)

Um comentário:

  1. Belas palavras para uma alguém que julgo conhecer. Não seria esse alguém uma nubente regojizante? Abraços.

    ResponderExcluir